segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Sousplat de barbante colorido

Simples para fazer e de grande efeito visual. 
Adorei esse modelo que uma amiga mandou a foto. Gostei tanto que até a posição na foto eu fiz. Não sei quem criou o modelo, mas se alguém souber por favor me avise que eu coloco a referência.  Acho que o trabalho e a criatividade devem ser respeitados. 
Eu copio sim, quando gosto eu copio,  de certa maneira tudo que eu faço vem do que eu vi ou me inspirei, mesmo quando é diferente veio de alguma fonte, ou muitas fontes. 
Fiz com barbante colorido de 8 fios e agulha 4mm. Total de 26 carreira sendo 22 de uma cor e 4 finais da borda em cor contrastante. 
Para me orientar mais ou menos  no uso das cores, que também não precisa ser rígido, combina o que gosta ou o que tem,  uso como base um circulo cromático que está abaixo junto com o gráfico básico de ponto baixo em circulo.
Geralmente uso esse gráfico como base,  mas sempre pode ocorrer alguma variação, depende da tensão do ponto. No caso desta peça eu fiz os aumentos padrão até a décima quinta carreira e a décima sexta eu teci sem aumentos. Da décima sétima até a vigésima segunda  continuei com os aumentos proporcionais. Mudei de cor para completar 26 carreiras e fui aumentando conforme achei necessário. Coloca sobre uma superfície plana pra ter certeza se precisa ou não.   Não fiz aumentos na última carreira,  melhor tecer sem aumentos para ficar mais regular na borda. 

domingo, 31 de agosto de 2014

Tapete de barbante e barroco decore


Tapete que fiz para meu banheiro com esse colorido bem alegre para contrastar com os móveis de palets. Amei os móveis feitos com essa madeira que recolhi no tempo num cemitério de palets. Por se tratar de uma madeira dura não tem perigo dos cupins atacarem. Fortaleza é uma cidade construída sobre um cupinzeiro gigante que devora tudo. Não tem móvel que resista. Eu tenho sempre  uma lata de veneno e uma seringa e vivo caçando cupim. Mato com injeção letal. Mas as vezes não venço, o que foi o caso deste banheiro. Espero ter sossego pelo menos por aqui porque dessa madeira eles não gostam. Mas por prevenção dei uma mão de veneno antes de passar a cera  que foi o único acabamento dado  aos palets. 
Os fios eu ganhei da minha amiga Perpétua, tanto o barbante quanto o barroco. Eram sobras que ela tinha e quando cheguei na metade do tapete o decore acabou. Resultado, comprei outro que sobrou a metade e agora terei que inventar outra coisa. E as sobras nunca terminam. 
Iniciei com 47 correntinhas, agulha 4.5mm. 4 carreiras com o barbante em pontos baixos e duas carreiras do barroco em pontos altos. 
Esta foto fiz para mostrar meu lustre que achei lindo. Vi numa loja mas não era para vender. Enchi tanto o saco da dona que pra se livrar de mim ela acabou me vendendo. Quase tive que vender meu rim pra pagar, como diz o povo por aqui, ela botou pra encangotar. Mas valeu a pena porque não ia achar outro que combinasse mais que este, já fazia um tempo que eu procurava e nada de encontrar o que eu queria. Mais vale um gosto na vida que seis vinténs na algibeira.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Chaveiro de crochê

Gosto dessa pecinha para usar no chaveiro. Também gosto muito delas para presentear. 
Eu uso tanto nas chaves que eu carrego quanto nas chaves das portas internas da casa. É um enfeite a mais e ajuda a manter á vista pois coisa pra se perder é chave, ainda mais quando está sozinha. 
Para confeccionar fiz um pap bem simples porque simples também é o trabalho. Pode também seguir o gráfico que está postado após o passo a passo. 
Linha Anne e agulha 2mm. Iniciei com argola e 12 pontos baixos. Fui aumentando o circulo  Até um total de 11 carreiras. 
Fiz dois circuloos iguais e uni um ao outro com pontos baixos. Antes de concluir o fechamento enchi com manta acrílica. 
Após encher e concluir o fechamento formar os gomos com uma agulha de costurar. Pregar um botão no centro. 
As peças abaixo já fiz a alguns anos. Na época eu citei a fonte onde havia as instruções para confeccionar, mas o blog foi removido e por esse motivo fiz este passo a passo agora,  para atualizar a postagem da época que ficou órfã.
Estes todos foram feitos para presente, por esse motivo personalizei com diversos pingentes de bijuteria de acordo com cada presenteada. 
Estes abaixo foram presente pra mim. Com assinatura :).

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Pantufa de verão com sola de borracha

Uma pantufa para os dias quentes. Como são todos por aqui. 
Fiz um passo a passo sem constar as quantidade de pontos porque tudo vai depender do tamanho do pé e da expessura do fio  e  da agulha. Este que utilizei é um fio antigo da circulo que não se fabrica mais. Muito parecido com a linha Bella. 
Usei um solado de borracha que vem acompanhado de uma palmilha, comprei em Curitiba naquela casa do cidadão no centro,  mas pode ser feito com uma solinha de crochê, ou utilizando a sola de uma chinelo velho, ou recortando uma sola no emborrachado, daqueles que são utilizados para tapetes pintados. Encontra-se nas lojas de sapataria e estofaria. Também não tem aqui, já comprei em Brasilia mas tem em várias cidades. 
Iniciei contornando a palmilha com pontos em crochê utilizando os furinhos que já vêm feitos. Coloquei um marcador para orientar a fixação da parte de cima que é tecida separadamente.
Para a parte superior da pantufa usei este gráfico. 
Prendi a parte superior na palmilha com pontos baixos
Após prender a parte na frente continuar tecendo pontos baixos até dar a volta no calcanhar. Usar um
 marcador como na foto para orientar. 
Tecer o calcanhar em carreiras de ida e volta até a altura pretendida. Em seguida fazer correntinhas até alcançar a parte da frente já fixada na palmilha. 
Tecer pontos baixos na frente e em seguida mais correntinhas até prender no calcanhar completando a volta. Tecer carreiras circulares de ponto baixo, nesta eu fiz 3 carreiras, diminuindo alguns pontos distribuídos na volta para ficar bem justinho no pé. 
Arrematar com uma carreira de ponto caranguejo. Levei ao sapateiro para colar e além da cola ele fez uma costura contornando e disse que só cola não segura. 

terça-feira, 22 de julho de 2014

Bau pintado e o Tema de Lara

Este baú fazia parte do mobiliário do quarto das minhas filhas quando eram adolescentes.  Era embutido atrás de uma cabeceira, por isso  tinha laminado somente na tampa e na parte de dentro. 
 Elas cresceram, mudaram-se e o quarto se transformou em quarto de visitas, com outros móveis. O baú levei para o sítio e lá permaneceu por muitos anos guardando forros de cama e toalhas da casa. 
Recentemente a casa do sítio foi desativada e eu trouxe a peça com intenção  de restaurar para guardar lãs e linhas no meu quartelier. 
Quando deixei de passar fins de semana no sítio eu doei algumas coisas e os móveis que sobraram eu cobri com velhos lencóis para evitar poeira. Quando fazia isso me veio a memória um filme que assisti a muitos anos. Doutor Jivago. Quem não assistiu já deve ter ouvido falar.  
A primeira vez que vi  esse filme, eu era pouco mais do que uma adolescente e ele já era meio antiguinho. Chorei muito com a ingratidão do universo conspirando contra  aquele amor  tão sublime entre o protagonista e a linda  Lara, aquela que deu origem ao tema. Desejei que eles se reencontrassem e permanecessem juntos e felizes para sempre, mas não foi assim que aconteceu no final e eu achei muito injusto. 
Mas o tempo passou e muitos anos depois eu, já casada e com filhos, vi o filme novamente. O que eu vi então foi um cara galinha, sem vergonha, com aquela loira de farmácia, safada, vadia, tentando roubar o marido da pobre coitada que ficava em casa passando frio para deixar a lenha da lareira somente para quando o safadão chegasse. A gente muda de opinião no decorrer da vida rsrsrs. 
Para a pintura eu dei uma mão com a batida de pedra. 
Para dar o efeito de patna provençal a gente dá uma mão de tinta escura e depois uma mão de tinta branca que pode ser  PVA ou esmalte a base de agua que  foi o que eu usei  porque era o que eu tinha, e depois de seca a gente lixa em alguns pontos para aparecer a tinta escura do fundo, como se estivesse desgastada.
Para econominar caminho e tinta, eu  aplico a tinta escura apenas em alguns lugares.  Como vou passar o branco em cima e para não me perder, eu fotografo a peça para saber onde estão as manchas escuras na hora de lixar. 
Na frente do baú eu fiz uma pintura imitando um cartão postal antigo, inspirada em vários desenhos que vi pela net. O selo eu imprimi e fiz decoupagem porque minha capacidade desenhistica não chega pra tanto. 
Se gostou do meu post me recomende no . Obrigado

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Almofada de crochê com trapilho e barbante

Vi na casa de uma amiga e 
claro  que fiquei com os dedinhos coçando. 
Lembrei logo de uma blusinha velhinha que já tinha dado tudo de si e eu com pena de descartar. Cortei em tirinhas de mais ou menos 1 cm, teci com agulha 4.5mm.
Comecei pelo canto com 1 corrente mais 4 para virar. Na quinta corrente a partir da agulha teci 4 pontos altos intercalados com 1 corrente. Vira.
Continuar tecendo aumentando 1 ponto no final e no começo de cada carreira. Ao atingir o tamanho desejado, esta fiz 45x45, começar a diminuir na mesma proporção até restar 1 ponto. 
Intercalei o trapilho feito de tecido com barbante nas cores da estampa. 
Vou me afastar do blog e da internet por uma semana devido a uma cirurgia na região dos olhos e não poderei me expor a luz da tela nem forçar a visão, mas volto daqui a uma semana enxergando melhor e mais bonito.  Responderei as dúvidas quando retornar. 

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Saia longa em crochê com ponto ripple

Fiz esta saia para uma amiga. Ela viu esta manta que eu estava tecendo com sobras de linhas
e quis uma saia com o mesmo padrão.
Para dar o formato evasê na saia eu comecei tecendo pelo cós com agulha 1.25mm. Na medida em que fui descendo eu fui aumentando o tamanho da agulha até chegar a de 3.00mm com a mesma quantidade de pontos e a saia chegando ao joelho . A partir daí eu aumentei um ponto num V sim e no outro não. Depois de uns 10 cm aumentei 1 ponto no V que não tinha aumentado e segui com a mesma quantidade de pontos até o final. Deu pra entender? Espero que sim porque sou meio trapaiada para explicar, minha capacidade didática de zero  a 10 é -5.
Como ela trabalha com linhas e as tem em todas as cores, ela mesma formou o rolo com diversas cores de Anne matizada. 
 Minha amiga faz filet, qualquer dia eu filmo e mostro aqui no blog como é executada essa arte tão linda. Por enquanto vou mostrando o resultado do trabalho dela que eu acho muito, muito, muito lindo. 




quinta-feira, 3 de julho de 2014

Manta da Fabiana

Porque é dela e porque foi ela quem fez. Desse jeito assim bem simples, como ela gosta, em carreiras de vai e vem formando listras. Depois para aumentar o tamanho teceu uma faixa circular. Uma lã muito suave ao toque com mistura de algodão. Bem encorpada e quentinha.

terça-feira, 24 de junho de 2014

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Porta copos e porta jarro com gráfico

Tecidos com linha Anne e agulha de crochê 2.0.
O modelo maior que serve como porta jarras foi feito pelo mesmo gráfico com dois fios.
O gráfico do porta copos eu recebi, não tem identificação mas quem  for o autor pode solicitar que eu dou os créditos e publico o link.

terça-feira, 10 de junho de 2014

Bolo de chocolate sem farinha e sem açucar (low sugar)

Este bolo é uma delícia, fica com uma textura suava e úmida. Vale a pena pra quem pode e pra quem não pode comer açúcar. A receita original eu encontrei no Tudo Gostoso e fiz a adaptação para diet. Ficou assim:
 
  • 7 ovos
  • 7 colheres de sopa de achocolatado diet sem açúcar  
  • 4 colheres de sopa de óleo
  • 2 colheres de sopa de margarina
  • 50 g (pacote pequeno) de coco ralado sem açúcar e desengordurado 
  •  3 gotas de essência de baunilha (disfarça o gosto do ovo e do coco)
  • 1 colher de sopa cheia de fermento em pó
  • Bater os 6 primeiros ingredientes no liquidificador. Por ultimo juntar o fermento e bater somente o suficiente para misturar. Colocar em forma de furo no meio (22cm diâmetro), untada com margarina e polvilhada com achocolatado. Assar por 15 min. em forno 160o, aumentar para 180o e assar mais 15 minutos. Desenformar depois de frio.
    Cobertura
    1 lata de leite condensado sem açúcar
    2 colheres de margarina
    7 colheres de sopa de achocolatado
    Misturar tudo numa panela e ferver por 5 minutos mexendo. Despejar sobre o bolo já frio.
    Usei os produtos abaixo. Somente uma sugestão pois quem tem restrição sabe das dificuldades em se encontrar produtos diet de boa qualidade. Estes eu recomendo.  

    segunda-feira, 2 de junho de 2014

    Gorro facil de tricô com receita

    Com o tempo esfriando no sul,  nada melhor do que um gorro quentinho. 
    Esta semana viajei pelo interior do Piaui e Ceara e nesses locais fica impossível imaginar a utilidade dessa peça, fica até difícil o contato com a lã para tecer.
    Este modelo pode ser usado com a barra dobrada como na foto, ou sem a barra dobrada fica na forma de Beanie, aquela touca que sobra um pouco  na parte de traz.

    Agulha para tricô numero 6
    La grossa, equivalente a dois fios da La Seda da Circulo
    Colocar 90 pontos na agulha e tecer em ponto barra 1/1 por 25cm
    Tecer  a  próxima carreira (pelo direito)  pegando dois pontos juntos em meia (45pts)
    Tecer a seguinte (avesso)  em tricô (45 pts)
    Tecer a próxima (direito) novamente pegando dois pontos juntos em meia (23pts)
    Passar uma agulha de crochê por dentro dos pontos e arrematar franzindo todos juntos
    Cortar o frio no tamanho suficiente para costurar o gorro na lateral.

    Se preferir pode tecer com agulha circular, economiza a costura lateral.

    sexta-feira, 16 de maio de 2014

    Franja pompom de crochê

    Adorei essa franjinha com pompons de crochê que aprendi no passo a passo do  blog: 
    Fiz num cobertor muito antigo que esteve guardado no fundo do armário em Fortaleza por 25 anos aguardando o retorno para sua origem. 

    domingo, 27 de abril de 2014

    Manta de tricô com quadrado perfeito

    Eis que se aproxima o inverno no hemisfério sul, o que me causa uma certa inveja. Esta manta fiz para meu filho que mora em SP, onde apesar de não ser muito frio pelo menos é mais fresquinho que aqui e  comporta uma manta de sofá.
    As cores foram escolhidas de acordo com as linhas que eu tinha. Ganhei da minha amiga Perpétua que me deu uma carrada de linhas e ainda me empresta a casa para as fotos. 
     É um produto antigo da Circulo (Palma Color Circulo Yarns) que está fora de linha mas não está fora de moda. Adoro linhas matizadas. 
    O preto eu acrescentei para dar o toque nas cores da decoração do apartamento. 
    Ele optou pelo preto, acho que para contrastar com  o meu tudo branco que o acompanhou  pela vida toda. 
    Acho  mais fácil  manter a cor quando é branco, por isso todo o enxoval da minha casa é branco. Cama, mesa e banho. Com o poder do cloro tudo fica branquinho e  sem manchas. 
    Abaixo o link para o vídeo do Aprendendo Crochê:
    Para o segundo quadrado em diante proceder como abaixo:
    Para esta manta iniciei quadrado com 61 pontos. Eu não teço o primeiro ponto quando faço tricô, isso faz com que o acabamento das bordas fique mais retinho. No caso de cordões de tricô, fica sempre um ponto saliente no começo como podem observar na lateral direita da primeira foto. Exatamente esse pontinho saliente é que eu pego na agulha para levantar os pontos do quadrado seguinte. 
    Após levantar os pontos na lateral do quadrado anterior, colocar na agulha a mesma quantidade de pontos mais um. No caso eu levantei 30 pontos e coloquei na agulha mais 31. A seguir, nessa primeira carreira (avesso),  tece os 61 pontos em meia e na carreira seguinte (direito)  29 m, o mate duplo, 29 m. 
    Fiz o barrado de crochê porque....nem sei porque. Acho que porque gostei deste, apesar de ter ficado um pouco camuflado pelo fio matizado. E eu também não tinha agulha circular de tricô para a volta toda da manta.